segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pamela Courson



Com toda a certeza, milhares de pessoas no mundo todo ouviram as músicas, cantaram ou apenas ouviram falar do The Doors e consequentemente de Jim Morrison. Bom  hoje falarei de alguém que atuou efetivamente na vida de Jim Morrison, a senhorita Pamela Susan Courson ou como ela gostava de ser chamada a " Senhora Morrison". Resolvi falar dela, pelo motivo de estar lendo o livro "Os últimos dias de Jim Morrison" onde fala como foi  o fim do ex- vocalista do The Doors em Paris. Nesse livro, Pamela é muito citada, afinal ela realmente  mexia com o nosso querido Jim. Porém nele é detalhado como realmente era a relação contubarda desse casal do rock in roll. Muitas traições,LSD, heroína, sexo, entre outras coisas. Uma relação onde um estava acostumado com a presença do outro, tornando tão dificil a decisão da separação. Pamela aproveitou o máximo a fama que ganhou por namorar com um rockstar, ela tinha tudo o que queria e mesmo assim  não se sentia satisfeita. Nos dias em que esteve com Jim em Paris, onde eles tinham feito um acordo que ali tentariam melhorar o seu relacionamento e tentar recuperar a confiança perdida, Pamela conhece Jean um traficante de drogas de sangue azul, que a deixa louca com tanta pseudo-fama e muita droga. Porém Jim não a deixa, afinal ele queria alguém para demostrar sua inteligência e também acabar vendendo sua alma.
Ainda não terminei de ler o livro, enquanto eu estiver lendo postarei coisas interessantes sobre a vida do Sr. Mojo.

Escuto nesse momento : "The Doors - Roadhouse blues"

P.S.: Muito interessante o livro, estou curiosa para terminá-lo;
P.P.S.: Graças! Acabou o semestre, logo estou de férias!
P.P.P.S.:Video game, The doors, namorado e mais uns quilos que irei ganhar=  Férias.

Beijos queridos Monks!

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá,

sempre fui fã dos DOORS. A música e a poesia de Jim fazem parte de minha vida.

Ainda me lembro da primeira vez que ouvi "The End" e fiquei chapado. Isso em 1988.

Estou lendo o livro, passei da metade e é difícil largá-lo.

Posso dizer que Pamela é mostrada de uma forma diferente que se costuma ver em outras obras.

Depois comento mais.

Abraços e ótima leitura.

Allysson Oliveira - Goiânia
allyssonoliveira@yahoo.com.br

Falcon disse...

Bem,

acabei o livro.

Enquanto lia decidi reler paralelamente o excelente "Rimbaud e Jim Morrison" de Wallace Fowlie.

Acho que eles se completam.

Os últimos meses de vida de Jim em Paris são controversos.

O grande mérito do livro de Philip Steele é a busca pela verdade.

Ele teve acesso a muita documentação nova ou que só foi liberada depois da morte dos proprietários de tais papéis.

As várias biografias dos Doors e de Jim tentam recriar esses últimos dias.

A tese na morte na banheira, defendida no filme de Oliver Stone, me parece inverosssímil.

Acredito mais que Jim tenha morrido na boate Rock'N'Roll Circus e depois tenha sido levado ao apartamento e a banheira.

Ele teve uma overdose cheirando heroína pensando que se tratava de cocaína? Bebeu até morrer?

Não saberemos, a verdade morreu junto com Pamela e seu traficante, o conde.

Pamela ganha um ar de antiherói na narrativa, uma espécie de Yoko Ono dos Doors.

Conjecturas à parte é sabido que Pamela foi a única herdeira de Jim, e que ela o enterrou com o caixão mais barato disponível na funerária, menos de 400 francos. Para se ter uma idéia de valores o aluguel do apartamento custava 3 mil francos, algo em torno de 600 dólares em 1971.

Ela se utilizou de Jim. De sua fama e de seu dinheiro.

Sua morte 3 anos depois pode ter sido de desgosto, ou de remorso.

Leiam o livro e opinem.

Além do livro de Philip e de Wallace Fowlie outra obra obrigatória é "No One Here Gets Out Alive" de Danny Sugerman.

Pra mim JIM está vivo... sempre...

Abraços...

Anônimo disse...

Estou curioso,

acabou de ler o livro???

O que achou???

Como você vê a Pam???

Abraços.

Allysson "Falcon" Oliveira